• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

BCE ainda não tomou decisão sobre bônus gregos, dizem fontes

Economia

BCE ainda não tomou decisão sobre bônus gregos, dizem fontes

Frankfurt - O Banco Central Europeu (BCE) ainda precisa tomar uma decisão sobre elevar ou não o desconto sobre bônus da Grécia dentro do programa assistencial de emergência que atualmente sustenta os bancos do país, disseram hoje pessoas com conhecimento do assunto ao Wall Street Journal.

O comentário veio após matéria de ontem do New York Times, segundo a qual o BCE vinha insistindo que o valor do colateral que bancos gregos podem depositar na instituição em operações de emergência seja reduzido em até 50%.

Desde o começo de fevereiro, os bancos gregos têm dependido de um programa emergencial de empréstimos por meio do banco central grego, em vez de usar as operações normais de refinanciamento do BCE. O programa tem taxas de juros menos favoráveis e é revisado semanalmente pelo conselho diretor do BCE. Com maioria de dois terços, o conselho pode eventualmente cancelar o programa.

Na semana passada, o presidente do BCE, Mario Draghi, disse que descontos sobre bônus gregos foram "mencionados, mas não discutidos" na reunião mais recente do conselho diretor.

O governo esquerdista da Grécia, que assumiu o poder em janeiro, tem enfrentado difíceis negociações com credores internacionais sobre o programa de ajuda do país. Atenas se recusa a implementar medidas de austeridade exigidas por seus credores, com o argumento de que elas apenas prejudicaram o povo grego.

Mas a Grécia está ficando sem liquidez e há temores de que o país entre em moratória no mês que vem, o que eleva a pressão para que Atenas chegue a um acordo com seus credores.

As incertezas ampliaram a possibilidade de a Grécia deixar a zona do euro. Em entrevista a um jornal grego, o integrante do conselho executivo do BCE Benoît Coeuré minimizou essa possibilidade e afirmou que a "zona do euro precisa da Grécia, da mesma forma que a Grécia precisa do euro". Fonte: Dow Jones Newswires.