• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Fluxo total de veículos nas estradas pedagiadas cai 1,5% em abril, diz ABCR

Economia

Fluxo total de veículos nas estradas pedagiadas cai 1,5% em abril, diz ABCR

São Paulo - O fluxo total de veículos pelas estradas pedagiadas em abril recuou 1,5% na comparação com março já descontados os efeitos sazonais, segundo o Índice ABCR calculado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias e Tendências Consultoria Integrada. A queda do índice total foi determinada pela queda de 1,3% nos fluxos dos veículos leves e pesados.

De acordo com a ABCR, com o resultado de abril, o indicador praticamente reverteu a alta do mês anterior, que foi de 1,7%.

"Apesar do recuo de leves no mês, o indicador acumulou estabilidade no ano, após registrar uma série predominante de resultados negativos nessa métrica desde 2016, o que abre espaço para relativa melhora em 2017", afirma Alessandra Ribeiro, diretora da Tendências.

De acordo com a economista, o cenário de moderada reação converge com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) mensal, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cujo resultado demonstra que a renda real habitual apresentou crescimento no primeiro trimestre deste ano, beneficiada pela acomodação da inflação em menores patamares.

Segundo Alessandra, "a melhor dinâmica dos rendimentos deve favorecer o fluxo de leves ao longo do ano, embora o indicador continue suscetível a oscilações nos próximos meses".

No que se refere ao fluxo de pesados, Alessandra pondera que apesar dos últimos dois meses negativos, o indicador não deve delinear uma trajetória de sistemática redução, na medida em que o atual período de oscilação seria condizente com o processo de estabilização da atividade industrial.

Na comparação de abril com idêntico mês no ano passado, o fluxo total de veículos nas estradas pedagiadas cresceu 0,2%. A movimentação dos veículos leves aumentou 3%, enquanto o fluxo de pesados teve retração de 8,3%.

No acumulado do ano, de janeiro a abril comparado ao mesmo período do ano passado, o fluxo total de veículos acumulou variação de 1%. O fluxo de veículos leves registrou estabilidade, enquanto o fluxo de pesados acumula retração de 4%.

Nos últimos 12 meses, o fluxo total acumulou variação negativa de 3,1%. Na mesma base de comparação, o fluxo de leves caiu 2,3% e o de pesados despencou 5,7%.

Estados

Segundo a ABCR, o fluxo de veículos pelas estradas pedagiadas do Estado de São Paulo recuou 1,7% em abril na comparação com março considerando os dados livres dos efeitos sazonais. Nessa mesma base de comparação, o fluxo de veículos leves nas estradas paulistas caiu 1,7%, enquanto o fluxo de veículos pesados registrou queda de 0,8%.

Na comparação de abril com o mesmo mês no ano passado, o fluxo total de São Paulo recuou 0,4%. Nessa mesma base comparativa, o fluxo de veículos leves subiu 2,6% e o de pesados teve expressiva queda de 9,4%. Nos últimos 12 meses, o fluxo total de veículos nas rodovias concedidas de São Paulo recuou 3,4%. O movimento de veículos leves declinou 2,6% e o de pesados caiu 6,1%.

No acumulado do ano janeiro a abril deste ano o volume de veículos que passaram pelas praças de pedágios nas estradas paulistas recuou 0,3%, enquanto o fluxo de pesados teve queda mais intensa, de 4,8%.

No Paraná, o fluxo total de veículos em abril caiu 2,8% em relação a março deste ano, também considerando os ajustes sazonais. O fluxo de leves recuou em 1,6% e o de pesados caiu 3,4%. Em relação ao mesmo período de 2016, o índice total do estado cresceu 3,8%. O fluxo de leves teve aumento de 11,1% e o de pesados teve queda de 8,7%.

Nos últimos 12 meses, o fluxo total de veículos nas rodovias concedidas do Estado acumulou variação negativa de 1,9%. Na mesma comparação, o fluxo de leves registrou variação negativa de 0,1%, enquanto no de pesados ela foi mais intensa, com 5,3%. No acumulado do ano o fluxo total de veículos cresceu 0,9%, sendo que o de leves cresceu 3% e o de veículos pesados acumulou queda de 3,4%.

No Rio de Janeiro, o fluxo total de veículos em abril registrou queda de 1,4% na comparação com março considerando dados livres dos efeitos sazonais. O tráfego de veículos leves apresentou variação negativa de 2,4% e o fluxo de veículos pesados apresentou elevação de 1,5%. Na comparação de abril com o mesmo mês do ano passado, o fluxo de veículos nas rodovias fluminenses caiu 4,9%. Nessa mesma base de comparação, o fluxo de veículos leves e pesados caiu 4% e 9,6%, respectivamente.

Nos últimos 12 meses, o fluxo total de veículos no Estado recuou 3,4%. O fluxo de veículos leves registrou queda de 2,3% e o de pesados recuou de 9,1%, considerando a mesma base comparativa. No acumulado do ano, o fluxo total de veículos acumulou retração de 3%. Mantida a base de comparação, o fluxo de veículos leves registrou queda de 2,1% e o fluxo de pesados queda de 8,2%.