• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Área total de grãos colhida em 2016 será de 57,6 milhões de hectares, diz IBGE

Economia

Área total de grãos colhida em 2016 será de 57,6 milhões de hectares, diz IBGE

Rio - A estimativa da área total de grãos a ser colhida pelos produtores agrícolas brasileiros em 2016 é de 57,6 milhões de hectares, em linha (-0,1%) com 2015. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de julho, divulgado nesta terça-feira, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O arroz, o milho e a soja - os três principais produtos da safra nacional - respondem por 87,5% da área total a ser colhida e por 92,5% da produção estimada. Em relação a 2015, houve aumento de 2,9% na área prevista da soja e reduções de 0,4% na área do milho e de 9,6% na área de arroz.

Já as avaliações da produção em 2016 em relação a 2015 foram negativas em 0,9% para a soja, 14,7% para o arroz e 20,5% para o milho.

Soja

Com a colheita de soja encerrada, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola projeta safra de 96,3 milhões de toneladas, recuo de 0,2% em relação à produção registrada em 2015. Houve queda na produtividade, já que a área plantada de soja aumentou 2,9% em 2016 ante 2015.

Regionalmente, o Mato Grosso segue como o principal produtor da oleaginosa do País, com 27,9% da produção. "A colheita (do Estado) estimada em 26,9 milhões de toneladas é 0,9% menor que a de junho, em função da redução no rendimento médio", diz o IBGE em nota.

Milho

As condições climáticas que prejudicaram a 1ª safra de milho persistiram durante a 2ª safra do grão, segundo o LSPA. Na estimativa de julho, o IBGE projeta uma safra total de milho de 68 milhões de toneladas, 3% abaixo da estimativa para a safra total feita em junho. Quanto à 2ª safra de milho, a projeção do IBGE é de produção de 42,8 milhões de toneladas, queda de 23,8% ante 2015.

"A estiagem foi a causa principal (da queda na produção), exceto no Rio Grande do Sul, onde o excesso de chuvas declinou a avaliação do rendimento médio em 0,4%, e para o Mato Grosso, onde a área plantada reduziu-se em 1,5% e a expectativa de rendimento médio caiu 0,4%", diz nota distribuída pelo IBGE, referindo-se às comparações entre as estimativas de junho e julho.