• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Banco do Japão (BoJ) anuncia medidas suplementares de estímulo monetário

Economia

Banco do Japão (BoJ) anuncia medidas suplementares de estímulo monetário

Tóquio - O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) anunciou hoje medidas suplementares ao atual programa de relaxamento quantitativo, comprometendo-se a aumentar sua exposição a bônus do governo de mais longo prazo e a fundos de ações domésticos.

Após concluir reunião de política monetária, o BoJ informou que vai ampliar o vencimento médio dos JGBs - como são conhecidos os bônus do governo - que compra do intervalo de 7 a 10 anos para a faixa de 7 a 12 anos, a partir de janeiro. O BC japonês, no entanto, decidiu manter a meta anual de seu programa de compra de ativos em cerca de 80 trilhões de ienes (US$ 650 bilhões).

O BoJ também decidiu estabelecer um novo programa de compra de ETFs (fundos de índices), com valor anual de 300 bilhões de ienes e que terá início em abril de 2016. Desde o fim de 2014, o BC do Japão já vem comprando ETFs a um ritmo de 3 trilhões de ienes anualmente.

As compras adicionais de ETFs vão focar ações de empresas que estão "fazendo investimentos em capital físico e humano de forma proativa", explicou o BoJ.

Nos últimos meses, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, declarou em várias ocasiões que as políticas da instituição têm surtido o efeito desejado e que a inflação subjacente do Japão continua em trajetória de alta.

De qualquer forma, Kuroda vem reiterando a promessa de fazer "o que for necessário" para atingir a meta de inflação do BoJ, estipulada em 2%, "o mais cedo possível". A falta de novas medidas do BoJ nas reuniões mais recentes, porém, levantou dúvidas entre alguns economistas sobre o comprometimento de Kuroda.

Na esteira da decisão do BoJ, o iene se enfraqueceu, chegando a ser cotado a 123,57 ienes por dólar, enquanto o juro do JGB de 10 anos recuou para 0,265%, o menor nível desde janeiro, antes de apagar parte das perdas e alcançar 0,270%, com queda de 2,5 pontos-base. Às 4h54 (de Brasília), a moeda japonesa havia se recuperado e o dólar caía a 121,87 ienes, de 122,81 ienes no fim da tarde de ontem. Fonte: Dow Jones Newswires.