• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Apresentador Charlie Rose é afastado após denúncia de assédio

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Apresentador Charlie Rose é afastado após denúncia de assédio

-

O ano de 2017 foi marcado por diversos assédios protagonizados por grandes nomes do entretenimento, que têm sido revelados pelas vítimas. O mais recente envolve o nome do apresentador e jornalista da CBS, Charlie Rose, que atualmente apresenta os programas CBS This Morning e 60 Minutes. Segundo o The Hollywood Reporter, foi suspenso das redes televisivas CBS e PBS, após ter sido acusado de assédio por oito mulheres.

O caso foi divulgado pelo The Washington Post, que publicou o depoimento das mulheres acusando Rose de comportamentos abusivos, como conversas por telefone de forma obscena, de andar nu na frente delas e de apertões sem o consentimento dessas mulheres. As envolvidas trabalhavam com o entrevistador ou desejam trabalhar com ele durante o período em que foi ao ar o programa Charlie Rose, na PBS. Os episódios teriam acontecido no final dos anos 1990 até 2011, quando elas tinham entre 21 e 37 anos de idade.

O jornalista reagiu às acusações e pediu desculpa pelo seu comportamento no passado, mas ressaltou que algumas das alegações não são verdadeiras: Nos meus 45 anos de jornalismo, fiquei orgulhoso de ser um defensor das carreiras das mulheres com quem trabalhei. No entanto, nos últimos dias, foram feitas reivindicações sobre meu comportamento em relação a algumas ex-colegas. É essencial que essas mulheres saibam que eu as ouço e que me desculpo profundamente pelo meu comportamento inapropriado. Eu estou muito envergonhado. Tenho me comportado de forma insensata às vezes e aceito a responsabilidade por isso, embora eu não acredite que todas essas alegações sejam precisas. Aprendi muito com o resultado de tudo isso, e espero que os outros também. Todos nós, incluindo eu, estão chegando a um reconhecimento mais novo e mais profundo da dor causada pela conduta no passado e alcançamos um profundo respeito pelas mulheres e suas vidas, escreveu em nota ao The Washington Post.