• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Argélia vence Coreia do Sul por 4 a 2

  • COMPARTILHE
Esportes

Argélia vence Coreia do Sul por 4 a 2

Os argelinos nunca conseguiram passar da fase de grupos. A última vez em que o país africano ficou próximo de se classificar foi em 1982. Naquele Mundial, a Argélia surpreendeu a Alemanha

Argélia supera Coreia do Sul e joga por empate para avançar Foto: R7

A Argélia deu um passo gigantesco para alcançar um feito inédito na história das Copas. Os africanos venceram a Coreia do Sul por 4 x 2, neste domingo, no Beira-Rio, em Porto Alegre, e agora vão jogar pelo empate contra a Rússia, desde que os sul-coreanos não goleiem a Bélgica, para se classificarem às oitavas de final pela primeira vez.

Os argelinos nunca conseguiram passar da fase de grupos. A última vez em que o país africano ficou próximo de se classificar foi em 1982. Naquele Mundial, a Argélia surpreendeu a poderosa Alemanha, com uma vitória por 2 a 1, perdeu para a Áustria por 2 a 0 e bateu o Chile por 3 a 2. Os alemães, porém, venceram os austríacos por 1 a 0, na última rodada, resultado que coincidentemente classificou os dois países.

Agora, depois de uma boa estreia, quando deu um calor na favorito Bélgica (derrota por 2 a 1, de virada), os argelinos venceram o confronto direto contra os sul-coreanos e dependem apenas de si para avançarem. O jogo contra os russos será na quinta-feira, às 17h, na Arena da Baixada, em Curitiba. A Bélgica, com seis pontos, já está classificada e enfrenta a Coreia do Sul na última rodada, também na quinta-feira, na Arena São Paulo.

A partida deste domingo foi decidida praticamente no primeiro tempo, quando os argelinos tiveram domínio total e souberam aproveitar para construir um placar (3 a 0) quase impossível de ser recuperado. A Coreia do Sul até ensaiou uma reação no começo do segundo tempo, mas foi pouco.

Slimani foi o nome da partida em Porto Alegre. O atacante abriu o caminho da vitória e ainda deu um lindo passe para o gol de Djabou, o terceiro da Argélia.

O JOGO

A Argélia entrou em campo com uma esquema que era defensivo apenas no papel. A postura era bastante agressiva. A equipe africana pressionava na saída de bola, dificultando o trabalho da Coreia do Sul, e envolvia o adversário com muita velocidade e troca de passes.

A primeira chance surgiu logo aos 3 minutos. Feghouli, o craque da Argélia, dominou na área e, ao tentar driblar Kim Young Gwon, foi derrubado. O árbitro colombiano Wilmar Roldan deu sequência no lance, sem assinalar o pênalti, prejudicando os argelinos.

Os sul-coreanos ficavam encolhidos, erravam muito e não conseguiram ultrapassar o meio de campo. A Argélia chegou mais uma vez com perigo, aos 9 minutos. Desta vez em uma cabeçada de Slimani, após cobrança de escanteio.

Preocupado, o técnico da Coreia do Sul, Hong Myungbo, exigiu uma mudança de atitude da equipe. Apesar do pedido, os sul-coreanos ameaçaram pouco, apenas em dois contra-ataques.

A Argélia dominava completamente as ações e, enfim, aos 26 minutos, conseguiu traduzir em gol o domínio da partida. Slimani ganhou disputa na velocidade com os zagueiros Kim Young Gwon e Hong Jeong Ho e só deslocou o goleiro Jung Sung Ryong.

O segundo gol saiu pouco depois, aos 28, em uma cobrança de escanteio. O zagueiro Halliche aproveitou indecisão na saída do goleiro Jung Sung Ryong e cabeceou para ampliar.

A Coreia do Sul se perdeu completamente na partida. A Argélia não teve piedade. O terceiro nasceu de mais um erro defensivo dos sul-coreanos. Aos 38 minutos, após chutão para o ataque, a defesa afastou mal, Slimani pegou o rebote e deu lindo passe para Djabou, que deslocou o goleiro com uma finalização no canto, de pé esquerdo.

Sem alternativa para continuar sonhando com uma vaga às oitavas de final, a Coreia do Sul voltou com uma postura totalmente diferente do primeiro tempo, muito mais agressiva. Deu resultado logo aos 5 minutos.

O lance do gol foi inusitado. Após lançamento, Son Heung Min viu a bola, primeiro, bater em suas costas. Depois o sul-coreano mostrou habilidade para driblar Bougherra e finalizar, entre as pernas do goleiro M'Bolhi.

Se os primeiros 45 minutos foram da Argélia, os sul-coreanos estavam decididos a serem os donos dos outros 45. O goleiro M'Bolhi foi novamente exigido aos 15 minutos e fez uma defesa espetacular em chute de Ki Sung Yueng.

A Coreia do Sul foi para o tudo o nada como se diz no futebol e pagou o preço. Em um contra-ataque, Brahimi avançou pelo meio, fez linda tabela com Feghouli, recebeu livre e só tocou na saída de Jung Sung Ryong.

O gol tinha tudo para ser um balde de água fria na reação da Coreia do Sul, mas não foi o que aconteceu. Os sul-coreanos não se entregaram, diminuíram o placar novamente, aos 27, com Koo Ja Cheol, e pressionaram até o fim, mas sem sucesso, praticamente dando adeus ao Mundial.

FICHA TÉCNICA

COREIA DO SUL 2 X 4 ARGÉLIA
COREIA DO SUL - Jung Sung Ryong; Lee Yong, Hong Jeong Ho, Kim Young Gwon e Yun Suk Young; Han Kook Young (Ji Dong Won), Lee Chung Yong (Lee Keun Ho), Ki Sung Yueng e Koo Ja Cheol; Son Heung Min e Park Chu Young (Kim Shin-Wook)
Técnico: Hong Myungbo
ARGÉLIA - M'Bolhi; Mandi, Medjani, Bougherra (Belkalem), Halliche e Mesbah; Bentaleb, Brahimi (Lacen), Djabou (Ghilas) e Feghouli; Slimani
Técnico: Vahid Halilhodzic
GOLS: Slimani, aos 26, Halliche, aos 28, e Djabou, aos 38 minutos do primeiro tempo; Son Heung Min, aos 5, Brahimi, aos 17, Koo Ja Cheol, aos 27.
CARTÕES AMARELOS: Lee Yong, Han Kook Young (Coreia do Sul); Bougherra (Argélia)
ÁRBITRO: Wilmar Roldan (Colômbia)
PÚBLICO: 42.732
LOCAL: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)