• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Árbitro relata ofensa de presidente do Flamengo em clássico: 'Bando de ladrões'

  • COMPARTILHE
Esportes

Árbitro relata ofensa de presidente do Flamengo em clássico: 'Bando de ladrões'

Rio - O árbitro Sandro Meira Ricci alegou ter sido ofendido pelo presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, após o clássico de domingo diante do Fluminense. Na súmula do confronto, disputado no Maracanã e válido pelo Campeonato Brasileiro, o juiz relatou ter sido interpelado pelo dirigente e pelo diretor de futebol rubro-negro, Rodrigo Caetano.

De acordo com a súmula, Ricci foi abordado pela primeira vez ainda no intervalo. "Você veio da federação do Rio de Janeiro?", teria perguntado Rodrigo Caetano. "Você veio contratado pelo Rubinho?", prosseguiu Eduardo Bandeira de Mello, referindo-se a Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), que se tornou desafeto rubro-negro.

Ainda segundo a súmula assinada por Ricci, as críticas se transformaram em ofensa após o término da partida, quando, irritado pela derrota por 3 a 2, o presidente do Flamengo teria perdido a paciência. "Bando de ladrões, têm que apitar no Rio de Janeiro!", disse, segundo o árbitro da partida.

A irritação dos dirigentes flamenguistas foi criada pelo pênalti marcado de Pará sobre Wagner, extremamente duvidoso, que resultou no primeiro gol do Fluminense logo aos seis minutos. As ofensas podem custar caro a Eduardo Bandeira de Mello, que deve ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e pode ser suspenso por até 90 dias, além de pagar uma multa de até R$ 100 mil.