• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Marinelli rescinde contrato de italiano que puxou freio de adversário na Moto2

  • COMPARTILHE
Esportes

Marinelli rescinde contrato de italiano que puxou freio de adversário na Moto2

O piloto italiano Romano Fenati teve o contrato rescindido nesta segunda-feira com a Marinelli Snipers por conduta antidesportiva. Durante a etapa da Moto2 realizada domingo, em San Marino, ele foi desqualificado ao puxar o freio dianteiro da moto de seu compatriota, Stefano Manzi, na tentativa de ultrapassá-lo.

"Agora podemos comunicar que a Marinelli Snipers Team rescindiu o contrato do piloto Romano Fenati por seu comportamento antidesportivo, inqualificável, perigoso e negativo para a imagem de todos", informou o assessor da equipe, Stefano Bedon, em mensagem nas redes sociais.

"Com máxima decepção, devemos constatar que seu gesto irresponsável colocou em risco a vida de outro piloto e não pode ser perdoado de maneira nenhuma. O piloto, a partir de agora, não participará de nenhuma corrida com o Marinelli Snipers Team", acrescentou o assessor.

Fenati também foi duramente criticado pela equipe MV Agusta, com quem estava conversando para a próxima temporada. "Foi o pior e mais triste incidente que vi em uma corrida de motos. Os esportistas verdadeiros não atuam desta forma. Se fosse a Dorna (empresa detentora dos direitos comerciais da MotoGP), o impediria voltar a competir", considerou o dono da equipe, Giovanni Castiglioni.

"Quanto ao seu contrato para uma vaga futura como piloto de MV Agusta Moto2, me oporei de todas as maneiras para que isso aconteça. Não acontecerá, (Fenati) não representa os valores autênticos de nossa companhia", acrescentou Castiglioni.

PEDIDO DE DESCULPAS - Depois de toda a repercussão negativa, Fenati publicou em seu site uma mensagem em que se arrepende das atitudes. "Peço perdão ao mundo esportivo. Nesta manhã, com a cabeça fria, gostaria que isso fosse apenas um pesadelo. Não paro de pensar nesses momentos. Meu gesto foi inqualificável. Não fui um homem."