• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cachoeiro integra mapeamento sobre distribuição de anticorpo usado em tratamento de câncer

  • COMPARTILHE
Geral

Cachoeiro integra mapeamento sobre distribuição de anticorpo usado em tratamento de câncer

A Secretaria de Saúde do município recebeu, nesta segunda-feira (5), ofício que indaga a respeito do acesso ao tratamento da doença na rede pública de saúde

Em alusão ao Dia Mundial do Câncer, celebrado no último domingo (4), a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) articulou uma ação em diversos estados do Brasil por meio de suas ONGs associadas, envolvendo Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde. Como parte da iniciativa, a Secretaria Municipal de Saúde de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado, recebeu, nesta segunda-feira (5), um ofício que indaga a respeito do acesso ao tratamento do câncer na rede pública de saúde. 

O documento questiona a respeito da disponibilidade do trastuzumabe - anticorpo utilizado no tratamento contra o câncer de mama - às pacientes com câncer de mama metastático HER2+, cujo prazo para incorporação no SUS terminou em 29 de janeiro. A ação tem por objetivo mapear o acesso ao tratamento e garantir transparência sobre sua oferta na rede pública de saúde.

Entregue pelo Grupo de Apoio aos Portadores de Câncer de Cachoeiro de Itapemirim (GAPCCI), ONG associada à FEMAMA, o ofício visa esclarecer as principais questões a respeito do acesso ao tratamento. No documento, constam as perguntas: Já houve alguma orientação do Ministério da Saúde sobre a forma de distribuição do trastuzumabe em seu município/estado? O medicamento já está sendo disponibilizado para pacientes com câncer de mama metastático? Se não, há alguma previsão para a distribuição?

O trastuzumabe mudou a forma como o câncer de mama é tratado no mundo e figura na Lista de Medicamentos Essenciais para combater a doença, criada pela OMS e usada para orientar governos na decisão de oferta de alternativas terapêuticas à população. No Brasil, ele já está disponível na rede pública de saúde às mulheres que receberam diagnóstico em estágio inicial e localmente avançado desde 2012, mas pacientes que apresentavam metástases (ocorrências de tumores em outros órgãos além da mama) não tinham, até então, acesso a esse medicamento.

As atividades fazem parte de um movimento nacional que integra o trabalho da FEMAMA em prol do acesso igualitário às alternativas terapêuticas efetivas para enfrentamento do câncer.

Sobre a FEMAMA

A Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama é uma organização sem fins econômicos que trabalha para reduzir os índices de mortalidade por câncer de mama em todo o Brasil, influenciando políticas públicas para defender direitos de pacientes, ao lado de 72 ONGs de apoio a pacientes associadas em todo o país. A FEMAMA foi a primeira instituição a trazer o Outubro Rosa de forma organizada para o Brasil, em 2008, com ações em diversas cidades, em parceria com ONGs associadas.