• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

"A saúde dela era perfeita", diz primo de jovem morta com suspeita de gripe H1N1

Geral

"A saúde dela era perfeita", diz primo de jovem morta com suspeita de gripe H1N1

Daiana Cristina Dias de Medeiros, de 24 anos, morreu na noite da última terça-feira, em um hospital de Vila Velha

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Daiana morreu na noite da última terça-feira

A morte da universitária Daiana Cristina Dias de Medeiros, de 24 anos, pegou de surpresa os familiares da jovem. Daiana morreu na noite da última terça-feira (01), em um hospital de Vila Velha, com suspeita de gripe H1N1, também conhecida como gripe A.

Segundo um primo da universitária, o empresário Ivanildo Nunes, Daiana era saudável e nunca havia ficado doente a ponto de ficar internada. "Ela tinha 24 anos e a saúde dela era perfeita. Realmente foi uma grande surpresa para todos. A gente nunca espera que isso aconteça", lamentou.

Ivanildo conta que o tempo entre o momento em que Daiana sentiu os primeiros sintomas até a sua morte foi inferior a uma semana. "Na sexta-feira (27) ela começou a se sentir mal e morreu na noite de terça. Foi tudo muito rápido", disse.

Segundo o empresário, a jovem buscou atendimento médico após sentir dores de garganta. Ele conta que, em um hospital localizado no bairro Itaparica, Daiana teria sido diagnosticada com garganta inflamada. "O médico receitou remédio e a liberou, sendo que ela já estava com febre", comenta.

Como a febre não passou, a universitária foi novamente ao médico. Desta vez, buscou um outro hospital, no bairro Jaburuna, onde foi realizado um raio X do tórax de Daiana. "Com a radiografia, os médicos viram evolução para pneumonia, mas não chegaram a encaminhar internação".

Apesar do uso de antibióticos, Daiana continuou se sentindo mal e buscou, pela terceira vez, um hospital, dessa vez no bairro Praia da Costa. No local ela permaneceu por um tempo no pronto-socorro e, em seguida, foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde morreu.

Daiana era natural do estado de Rondônia, região Norte do Brasil, mas morava há cinco anos com os pais no Espírito Santo. A jovem trabalhava em uma loja de materiais esportivos, localizada dentro de um shopping na Grande Vitória.

A universitária era evangélica e congregava em uma igreja do bairro Jaburuna, em Vila Velha. Daiana foi sepultada na tarde da última quarta-feira (02), no Cemitério Parque da Paz, em Ponta da Fruta, Vila Velha.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesa) informou que o prazo para conclusão do exame que vai apontar se a jovem foi ou não vítima de H1N1 é de dez dias corridos, contados a partir do momento em que o laboratório responsável pela análise recebe a amostra do material coletado.