• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Partido Conservador britânico mantém posição dominante em eleições locais

Geral

Partido Conservador britânico mantém posição dominante em eleições locais

O Partido Conservador da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, manteve sua posição nas eleições locais em grande parte, enquanto os principais oponentes políticos lutavam para capitalizar as dificuldades da líder britânica desde que perderam a maioria parlamentar do partido nas eleições gerais do ano passado.

Após um período difícil para o governo, que está dividido sobre o Brexit e recentemente sofre uma renúncia no corpo ministerial, os conservadores perderam o controle de cinco conselhos e ganharam o controle de quatro em eleições realizadas em cidades da Inglaterra. Mas o principal opositor, o Partido Trabalhista, também perdeu o controle de duas autoridades locais enquanto ganhava outras duas, uma atuação que não foi forte o suficiente para sugerir que a sigla iria obter uma maioria parlamentar se as eleições gerais fossem antecipadas. Os líderes de ambos os partidos consideraram o pleito um sucesso.

Os resultados das eleições encerraram uma semana particularmente difícil para o Partido Conservador. Uma ministra do gabinete de May renunciou no último domingo devido ao tratamento dado pelo governo a residentes de longa data no Caribe, um escândalo que prejudicou ainda mais a reputação do partido.

Em um ano de negociações sobre a saída britânica da União Europeia, May luta para chegar a um consenso, mesmo dentro do governo, sobre a forma do futuro relacionamento do Reino Unido com o bloco. Enquanto May quer criar uma união aduaneira que suavize o impacto econômico do Brexit nas empresas, outros que votaram em deixar a UE se opõem ao plano. "Quando um governo está com tantos problemas, a oposição deve estar muito mais à frente do que eles", disse o professor de política Tim Bale, da Universidade de Londres. Ele disse que o público ainda não confia no Partido Trabalhista para governar país e a economia, enquanto há dúvidas sobre a competência do líder Jeremy Corbyn.

Os trabalhistas, que se renovaram na década de 1990 ao se aproximar dos eleitores metropolitanos, lutaram para manter seus tradicionais eleitores da classe trabalhadora em áreas pós-industriais, que antes eram o alicerce de seu apoio. Muitos eleitores nessas áreas apoiaram o Brexit e não sentiram os benefícios da recuperação econômica do Reino Unido. Com a maioria dos resultados na sexta-feira, May perdeu assentos em áreas como Plymourh, no sul da Inglaterra, e Trafford, em Manchester, mas permaneceu com Westminster e Wandsworh, redutos de Londres que o Partido Trabalhista tinha como alvo. Fonte: Dow Jones Newswires.