• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Idosos revelam o segredo da longevidade: exercitar o corpo e a mente

Geral

Idosos revelam o segredo da longevidade: exercitar o corpo e a mente

Dados revelam que a população idosa no Espírito Santo deve aumentar 47% em uma década e meia, o que representa quase o dobro da quantidade atual

José Antônio Castelo Branco pratica exercício físico todos os dias Foto: Divulgação

Estimativas do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) revelam que o Espírito Santo deve ter uma população idosa próxima a 862.004 pessoas até o ano de 2030. De acordo com as projeções feitas pelo instituto, o número deve corresponder a 19,2% dos 4.481.671 habitantes esperados para os próximos 15 anos.

Os dados foram calculados com base nas informações regionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e revelam que a população idosa capixaba deve aumentar 47% em uma década e meia, que é quase o dobro da quantidade atual.

E a esperança de vida dos capixabas também aumentou nos últimos dez anos. A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) realizada pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde em 2013 mostrou que a expectativa de via ao nascer passou de 71,1 anos para 77,1 anos no Espírito Santo. Enquanto pesquisas revelam o aumento da população da terceira idade, é preciso ter alguns cuidados para se ter longevidade com qualidade de vida.

Muitos sonham com a juventude eterna. Se pudessem (e existisse uma fonte da juventude) haveria fila para se ter a chance de dar um ‘mergulho’ nela. Mas como ela não existe e a idade chega para todo mundo, há quem revele seus segredos para uma vida ativa e feliz.

O dia da aposentada Margarida Maria da Silva, 64, começa bem cedo, às 4h30. Como ela mesmo faz questão de falar, não realiza nenhuma das muitas tarefas diárias sem antes dedicar meia hora às suas orações. Quando termina, o dia ainda ‘está calmo’ e as atividades não são diferentes das de nenhuma dona de casa, mas que, no caso dela, cuida de um filho e dois netos que moram na mesma residência.

“Faço o café e acordo o meu neto para poder se arrumar e ir à escola. Enquanto ele toma seu café, já vou colocando a minha roupa de caminhada. Saio de casa cinco e meia da manhã e em 15 minutos chego na orla e percorro as praias de Itaparica, Itapoã e Praia da Costa, chego em casa por volta das oito da manhã”.

E quando chega é ‘dada a largada’, pois literalmente começa uma corrida contra o tempo. A senhora toma seu banho, acorda o segundo neto que ficou dormindo e começa os afazeres domésticos. Lava roupa enquanto prepara o almoço ao mesmo tempo. Findada uma atividade, dá um jeitinho na casa.

“O que me mantém viva é essa rotina agitada. Não tenho tempo para dor e nem para doença. Mas mantenho meus exames em dia e cuido da alimentação. Minha vida é bem corrida, tenho que dar conta de tudo pela manhã porque, no período da tarde chegam mais dois netos que também ficam comigo. Eu penso que, se o idoso ficar parado, pensando no passado e deixando que façam tudo por ele, ele ficará depressivo e acaba morrendo”, afirmou.

O aposentado José Antônio Castelo Branco, 61, não conhece a dona Margarida, mas assim como ela acorda bem cedo, às 04h45 e a sua primeira atividade diária é praticar esporte. José Antônio afirma que o corpo tem que estar em constante movimento. Para ele, chegar bem na terceira idade, além do exercício, há um segredo que ele revela e diz não falhar.

“Durante a semana caminho entre seis e oito quilômetros na orla de Camburi e nos finais de semana são 30 Km de bike. Mas para ter uma vida longa e feliz mesmo o segredo é ser feliz, não ficar remoendo as coisas, não ficar carregando muito problema na cabeça e não ter ódio de ninguém. Se a cabeça estiver bem, todo o resto funciona bem”, entrega ele.

Se o senhor José Antônio e a dona Margarida fossem ao consultório da geriatra Maria Quiroga de Figueiredo Cortes seriam parabenizados. A especialista afirma que para se ter longevidade com qualidade é preciso ter a cabeça e o corpo ativos.

“Não adianta manter só uma parte ativa, os idosos precisam se exercitar, cuidar da alimentação, da mente e da saúde.  Quando a idade chega as principais queixas são o esquecimento e as dores, muitas delas somem com a prática de exercícios e assim como o corpo, ao treinar a mente, o esquecimento diminui”, ressalta a especialista.

Quiroga diz ainda que a evolução da medicina também contribui para que as pessoas vivam mais nos tempos de hoje.

“Hoje conseguimos diagnosticar precocemente o idoso e isto tem um papel fundamental para o viver melhor, além disso, temos disponíveis exames e medicamentos que antigamente não existiam e que nos auxiliam a oferecer um melhor tratamento para o paciente”.

A médica ainda revela outro segredinho para a longevidade com qualidade: “É ter moderação! A pessoa não tem que se privar de nada nessa vida, nem de comer o que gosta, um bom vinho, passear, sair para dançar, se divertir, mas tudo com moderação”, finaliza.