• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil são afetados por inundações

  • COMPARTILHE
Geral

Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil são afetados por inundações

Buenos Aires - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, interrompeu suas férias de Natal para viajar no domingo ao nordeste da Argentina, onde os moradores enfrentam uma das piores inundações em décadas no Cone Sul.

Inundações ligadas ao El Niño na Argentina, Uruguai, Paraguai e Brasil forçaram centenas de milhares de pessoas nessas regiões a passar o Natal longe de casa.

Macri chegou neste domingo em Concordia, onde as pessoas estão utilizando barcos como transporte. Concordia é uma das cidades mais atingidas pela inundação, que é a pior desde 1959. Foram registrados 10.000 desabrigados na cidade, informou neste domingo a agência oficial de notícias Telam.

"Saiba que você não está sozinho", disse Macri às pessoas, prometendo ajudar no reparo das casas e com "soluções definitivas". O governo criou um comitê de crise e concedeu uma ajuda especial para enfrentar a situação.

"Eu prometi que o país participará com 66% do investimento necessário para a construção de casas dessa área de baixa altitude, que agora está inundada", disse ele.

Na Argentina, onde pelo menos duas pessoas morreram, sendo que uma delas era criança, devido às enchentes, as províncias de Chaco, Formosa, Corrientes, Entre Rios e Santa Fé, localizadas no nordeste da Argentina e na fronteira ou proximidades do Paraguai, foram as mais atingidas. No total, cerca de 20.000 pessoas foram deslocadas de suas casas, de acordo com a Telam.

Em todo o Cone Sul se repetiam imagens de pessoas utilizando barcos como transporte, de casas inundadas até a metade e carros quase submersos pelas águas.

No Paraguai, um dos países mais afetados, a elevação do rio que tem o mesmo nome está há semanas complicando a vida de muitos moradores da capital, Assunção, que foram desalojados. A água começou a ameaçar até mesmo os abrigos.

Existem mais de 100.000 pessoas deslocadas de suas moradias, de acordo com os últimos dados oficiais, embora seja provável que o número tenha aumentado, considerando que cada centímetro de inundação do rio tem forte impacto sobre a população.

A Direção Nacional de Meteorologia do Paraguai emitiu um alerta neste domingo de tempestades severas no sul, afetando ainda mais Ñeembucú, uma das localidades mais atingidas pelas enchentes.

As autoridades buscavam, neste domingo, a evacuação total da cidade de Alberdi, localizada cerca de 230 quilômetros ao sul de Assunção e perto de Formosa, no norte da Argentina, em razão do sério risco de que um muro de contenção ceda à pressão da água. A medida não foi bem recebida entre os seus 7 mil habitantes.

No Uruguai, o último balanço deste domingo do Sistema Nacional de Emergência (SNE) fixava em 11.357 pessoas que foram deslocadas de suas regiões em todo o país.

Desse total, 9.426 pessoas deixaram a área por conta própria e foram acolhidas por parentes ou amigos.

O Escritório de Defesa Civil do Rio Grande do Sul, no sul do Brasil, disse no domingo que as inundações causadas por chuvas torrenciais forçaram mais de 8.800 pessoas a deixar suas casas em 38 cidades na região limítrofe com o Uruguai e a Argentina. Um total de 12 cidades ainda está em estado de emergência.

A maioria dos que tiveram de abandonar as suas casas foram auxiliados por parentes ou amigos. Outros foram para os centros desportivos, escolas e edifícios públicos.