• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cidades capixabas investem mais em urbanismo do que em Assistência Social

Geral

Cidades capixabas investem mais em urbanismo do que em Assistência Social

Entre as maiores cidades do Espírito Santo avaliadas pelos estudo, Vitória é que teve o maior investimento por pessoa na área, seguida por Linhares e Cariacica

Políticas de assistência social são importantes para reduzir as desigualdades Foto: Agência Brasil

Um levantamento realizado pelo Nexo Jornal, em parceria com o CEM (Centro de Estudos da Metrópole), aponta baixo investimento das prefeituras brasileiras na área de assistência social. Os dados levam em consideração os anos de 2014 e 2015.

Entre as maiores cidades do Espírito Santo, Vitória é que teve o maior investimento por pessoa na área (R$ 142,19), seguida por Linhares (R$ 114,18 por pessoa) e Cariacica (R$ 32,54).

A cidade de Cachoeiro de Itapemirim investiu R$ 23,18 por pessoa em assistência social. Já Vila Velha apenas R$ 16,82 e ficou abaixo de 99% das cidades brasileiras levadas em conta pelo levantamento.

Com o objetivo de garantir direitos previstos na Constituição Federal de 1988 ao cidadão brasileiro, a assistência social teve menos olhos do que áreas como o urbanismo.

Linhares foi a que mais investiu (R$ 525,98), seguida por Vitória (R$ 525,98), Guarapari (R$ 295,28), Cariacica (R$ 236,32), Vila Velha (R$ 235,83) e Cachoeiro de Itapemirim (R$ 172,01).

Em três cidades, o investimento em urbanismo chegou a ficar próximo aos que as prefeituras investiram na área da saúde. Cariacica investiu R$ 262,93 por pessoa em saúde, Vila Velha R$ 255,67 e Guarapari R$ 313,90;

Para Maria Helena Eupidio Abreu, professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a assistência social é uma política pública fundamental para qualquer cidade brasileira, na medida em que assegura condições básicas de sobrevivência para crianças, idosos, pessoas com deficiência, trabalhadores e outros segmentos sociais.

"A ausência da política de assistência social reforça o patamar de pobreza , de dependência da filantropia, da politicagem e da dependência de famílias utilizadas como massa de manobra. E isso se transforma em problema político. Porque enquanto a pobreza der lucro, a assistência social acaba sendo uma política frágil, colocada no patamar da ajuda, da troca, de fisiologismo. E muitos políticos ainda se valem dessa visão", disse.

Para ela a assistência social não ganha a visibilidade que precisa, pois ainda persiste a visão de que é apenas para pobres. "Mas não é. Temos desemprego, previdência social cada vez mais difícil por cortes da própria política neoliberal, serviços públicos mais escassos e famílias empobrecidas. Às vezes a assistência é a única porta de entrada para acesso a direito". 

Para embasar sua fala, a especialista utilizou o exemplo da tragédia do Rio Doce, onde famílias que antes dependiam do rio para sobreviver agora viraram dependentes dos governos. "Muitas vezes políticos se valem da pobreza e da assistência social para comprar voto, já que ela sempre foi delegada como um favor e não como direito social. Pobreza no Brasil sempre deu lucro", critica. 

Na opinião de Maria Helena, a assistência social, apresenta uma característica excludente no País. "O baixo orçamento indica seletividade. Uma política que seria para incluir se torna excludente porque ela é focalizada e exclusiva", avaliou.

Confira os dados das principais cidades:

VITÓRIA

Educação - R$ 1016,05 por pessoa

Saúde - R$ 743,22 por pessoa

Urbanismo - R$ 525,98 por pessoa  

Assistência Social - R$ 142,19 por pessoa 

CARIACICA

Educação - R$ 525,73 por pessoa

Saúde - R$ 262,93 por pessoa

Urbanismo - R$ 236,32 por pessoa

Assistência Social - R$ 32,54 por pessoa

VILA VELHA

Educação - R$ 500,75 por pessoa

Saúde - R$ 255,67

Urbanismo - R$ 235,83

Assistência Social - R$ 16,82

GUARAPARI

Educação - R$ 811,9

Saúde - R$ 313,9

Urbanismo - R$ 295,28

Assistência Social - R$ 45,86

CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM

Educação - R$ 510,59

Saúde - R$ 290,11

Urbanismo - R$ 172,01

Assistência Social - R$ 23,18

LINHARES

Educação - R$ 878,23

Saúde - R$ 859,23

Urbanismo - R$ 527,31

Assistência Social - R$ 114,18

Obs: O município de Serra não foi avaliado pelo levantamento.