• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Bala fica alojada em colete e salva a vida de policial militar durante troca de tiros em Vila Velha

Polícia

Bala fica alojada em colete e salva a vida de policial militar durante troca de tiros em Vila Velha

A polícia foi até o local após receber uma denúncia anônima de que traficantes de Cariacica teriam se mudado para uma casa no bairro há aproximadamente um mês e dominado o tráfico da região

De acordo com os moradores, os policiais foram recebidos a tiros depois de terem sido avistados pelos suspeitos Foto: TV Vitória

Um soldado da Polícia Militar, de 26 anos, foi atingido por um disparo no colete à prova de balas na noite de quarta-feira (20), no beco da Sylvinha, no bairro Paul, em Vila Velha. Antes de ficar alojada no colete, a bala teria atingido a chave e o rádio comunicador usado pelo militar. 

A polícia foi até o local após receber uma denúncia anônima de que traficantes de Cariacica teriam se mudado para uma casa no bairro há aproximadamente um mês e dominado o tráfico na região.

De acordo com os moradores, os policiais foram recebidos a tiros depois de terem sido avistados pelos suspeitos. Os militares revidaram e cinco suspeitos foram detidos, além de dois menores apreendidos. 

Claudionor Venâncio de Araújo e Claudinei Rodrigues de Andrade, ambos de 22 anos, Estevão Jacobson de Oliveira, Valter das Neves Falcão e Daniel Machado Raimundo, ambos de 18 anos, foram presos pela polícia. Outros dois menores de idade foram apreendidos. Com eles, os policiais encontraram uma pistola calibre 380, um revólver calibre 38, uma arma falsa, além de munição e celulares. 

Antes de ficar alojada no colete, a bala atingiu o rádio comunicador e a chave Foto: TV Vitória

A moradora da residência onde os suspeitos estavam contesta a versão dos policiais. Ela afirma que os militares atiraram primeiro e que houve exagero na ação policial.

“O policial veio e sentou tiro de cima pra baixo na gente. Meu esposo estava dentro de casa e eles pediram pra abrir a porta. Abrimos a porta e o policial não respeitou. Colocou a botina nas minhas costas e deu um tapa na cara da minha menina que estava aqui em casa. Pegou um ‘de menor’ amarrou uma tolha no pescoço dele e sufocou ele. Botou a cara do meu esposo na água, que está cheio de hematoma. Não respeitou ninguém, nem morador. Xingou morador, invadiu casa sem pedir permissão e em nenhum momento vi os moradores revidando o tiro com eles. O tiro não saiu de dentro da minha casa” conta a mulher, que não quis ser identificada.

A moradora disse ainda que se estivesse armada na hora da abordagem, também teria atirado nos policiais. “Eu revidaria. Por incrível que pareça, eu revidaria. Mesmo eles fazendo o trabalho deles. Ele está certo de entrar dentro da minha casa, eu grávida, colocar o pé nas minhas costas e dar um tapa em uma menor?”.

Os cinco detidos e os dois menores apreendidos foram encaminhados à delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, que apura o caso.

Por meio de nota, a Polícia Militar confirma a versão de que foi recebida a tiros no bairro. Em relação à reclamação da moradora, a PM disse que ela deve formalizar a denúncia na Corregedoria da Polícia Militar.