• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mãe de jovem que matou avô em Cariacica diz que tentou internar o filho várias vezes

  • COMPARTILHE
Polícia

Mãe de jovem que matou avô em Cariacica diz que tentou internar o filho várias vezes

A mulher contou que tem medo do que o filho possa fazer se for solto da clínica onde está internado. Além do avô, outro homem morreu durante o ataque

A mãe contou que ele já colocou fogo na casa onde morava Foto: TV Vitória

Muito emocionada por ter perdido o pai, Luciana dos Anjos Ferreira, mãe do jovem acusado de cometer o assassinato, afirmou que por várias vezes tentou internar Lucas Ferreira de Oliveira. De acordo com ela, ele sofre de esquizofrenia e durante um surto psicótico cometeu o crime. Além do avô Daniel Bento Ferreira, de 68 anos, o jovem também teria matado a pauladas um homem, identificado apenas como Genésio.

O crime aconteceu na noite do último sábado (6), no bairro Mucuri, em Cariacica. “Minha cunhada me ligou pedindo para eu correr e ir ver o meu filho, que tinha batido muito no meu pai. No caminho, a minha amiga me ligou e falou que meu filho havia confessado que matou meu pai. Eu fiquei sem chão”, contou Luciana.

A dona de casa relatou que agora precisa de equilíbrio para lidar com a situação de ter um filho doente, que tirou a vida de duas pessoas, inclusive do pai dela. “Perder o pai, e outra pessoa que não tinha nada com isso, é muito difícil. E se tivesse mais gente lá, ele poderia ter feito isso com mais pessoas também”, disse.

Luciana contou que sempre lutou para ajudar o filho, mas ele nunca quis ajuda. “Ele não aceitava ir no médico de jeito nenhum, nem tomar remédio. Ele começou a ficar caído, minha cunhada me ligava falando que ele estava deitado no chão no meio do expediente de trabalho, falando que a calça dele estava descosturada no meio das pernas e que ele estava emagrecendo”.

>> Psiquiatra fala sobre situação do jovem que matou avô

Depois, a situação pirou ainda mais. O rapaz chegou a colocar fogo na casa em que morava com a mãe. Segundo ela, o filho fez isso duas vezes. Então, foi morar com o avô. Muito doente, e com surtos psicóticos constantes, ele acabou cometendo o crime. 

Investigadores da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) contaram que as duas vítimas estariam embriagadas quando chegaram em casa, e acabaram dormindo. O crime só foi descoberto quando o irmão de Lucas chegou em casa e se deparou com a cena do assassinato.

"Como eu vou ficar com uma pessoa que eu sei que matou o meu pai? Eu tenho medo", relatou.

O jovem foi encaminhado de ambulância ao Hospital Estadual de Atenção Clínica em Cariacica. A mãe de Lucas disse que não consegue acreditar que tudo isso aconteceu. “Ele era um menino normal, trabalhador, todo mundo gostava dele e ele tinha sonhos. Ele falava que seria engenheiro”, destacou.

Luciana contou que tentou inúmeras vezes internação para o filho. “Desde 2015 eu estou atrás de internação e, na última vez em que ele foi ao hospital, eu pedi para ele ser internado. A médica me deu um papel e disse que ele era perigoso. Agora meu filho virou um monstro. Isso porque ele poderia ter sido internado”.

Diante de tudo que aconteceu, a família agora batalha para manter Lucas internado. “Eu temo pela vida dele, se for solto. E como eu vou ficar com uma pessoa que eu sei que matou o meu pai? Eu tenho medo mesmo do que pode acontecer”, apontou.

Em nota, a direção do Hospital Estadual de Atenção Clínica informou que quando houve indicação médica para internação o paciente foi internado, mas é preciso dar continuidade ao tratamento ambulatorial. Ressaltou que pacientes com transtornos devem ser acompanhados pelas unidades municipais. Além disso, os casos graves são encaminhados a instituição que acolhe pacientes com esse tipo de problema para um atendimento médico e psicossocial. A internação deve ocorrer em último caso, conforme previsto em lei, e só é indicada quando os recursos extra-hospitalares forem insuficientes.

A Secretaria de Justiça informou que Lucas Ferreira de Oliveira segue preso no Centro de Triagem de Viana.