• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Empresário e secretário municipal de finanças são presos em operação do MPES

Polícia

Empresário e secretário municipal de finanças são presos em operação do MPES

Também foram cumpridos cinco mandados de buscas e apreensões, além de cinco mandados de conduções coercitivas.

O empresário Richelmi Milke, dono da empresa RT Empreendimentos e Serviços Ltda e o secretário de Administração e Finanças de Ponto Belo, Vanilson Alves Vilelaam presos nesta quinta-feira (31) durante a segunda fase da Operação "Varredura" , realizada pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco Norte) do Ministério Público Federal, em conjunto com  Promotoria de Justiça de Mucurici e apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES.

A operação foi realizada nos municípios de Ponto Belo, São Gabriel da Palha e Baixo Guandu. Além das duas prisões, realizadas em caráter preventivo (de até 180 dias quando decretada no curso da investigação ou antes da sentença condenatória recorrível) , foram cumpridos cinco mandados de buscas e apreensões, cinco mandados de conduções coercitivas. 

Os mandados foram deferidos pelo Juízo de Mucurici. Foram apreendidos documentos, computadores, mídias e outros equipamentos e materiais. O MPES apura a prática, em tese, de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, formação de quadrilha, fraude à licitação, tráfico de influência, dentre outros. Além da RT Empreedimentos e Serviços Ltda, são investigadas como partícipes do esquema fraudulento as empresas Aliança Serviços e Construções Ltda e Qualitar Limpeza e Soluções Ambientais Ltda. Há fortes indícios de que essas três empresas tinham a participação do empresário Richelmi Milke, conforme documentos apreendidos pelo MPES durante a apuração.

As investigações são conduzidas por cinco promotores de Justiça, com participação e apoio de 18 policiais do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES, além de outros servidores. As diligências transcorreram de forma tranquila e sem incidentes.

Os membros do MPES analisam agora os documentos e dados apreendidos e tomam declarações dos investigados, testemunhas e informantes.

60 milhões em fraudes

Segundo o MPES, as fraudes do setor de coleta e tratamentos de resíduos sólidos de quatro municípios do Espírito Santo, que passaram pela operação "Varredura" envolvem a quantia de pelo menos R$ 60 milhões. A primeira fase da operação aconteceu na última  terça-feira (29). 

Com o desdobramento da operação, o valor pode ser ainda maior. Pessoas físicas e jurídicas estão sendo investigadas, mas os nomes não são divulgados pelo MPES. O nome da Operação é uma referência à necessidade de varrer a corrupção no setor em municípios do Estado.