• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Câmeras para coibir ação de "Máfia das Funerárias" próximo ao DML em Vitória

  • COMPARTILHE
Polícia

Câmeras para coibir ação de "Máfia das Funerárias" próximo ao DML em Vitória

MPES informou que ação inicial apurou irregularidades na prestação de serviços funerários na capital. Mesmo com a lei, o problema não foi solucionado

Câmeras devem fiscalizar o DML Foto: Divulgação/MPES

Após uma ação civil pública, movida pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), a Justiça solicitou a instalação de câmeras de videomonitoramento no entorno do Departamento Médico Legal (DML), em Vitória. Com isso, o Governo do Estado terá o prazo de 60 dias para instalar o equipamento. 

De acordo com o Ministério Público, a decisão baseou-se nas denuncias de agenciamento e plantões de serviços funerários na região do DML de Vitória, que ficou conhecido à época como "Máfia das Funerárias".

A ação inicial apurou irregularidades na prestação de serviços funerários em Vitória e levou à publicação da Lei Estadual nº 9.449/2010, que proíbe o agenciamento e plantões de serviços funerários em estabelecimentos públicos de saúde e nas unidades médico-legais no Espírito Santo. No entanto, segundo o MPES, as apurações mostraram que as providências judiciais e a legislação estadual não solucionaram os problemas constatados no entorno do DML, principalmente na capital. 

Ainda de acordo com o MPES, um procedimento aberto constatou a exploração de “serviços funerários” em um raio menor do que 500 metros de distância da sede do Departamento Médico-Legal. 

Apesar da sentença favorável, a Justiça não atendeu liminarmente a um dos pedidos do MPES, de afastamento das funerárias a uma distância maior que 500 metros do DML. Diante disso, o MPES informou que vai recorrer da decisão.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Estado (Sesp), eles ainda não foram notificados sobre o caso.