• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cadela foge na noite de Natal e é morta por vizinho com golpes de facão em Cariacica

Polícia

Cadela foge na noite de Natal e é morta por vizinho com golpes de facão em Cariacica

Bela chegou a ser levada a uma clínica veterinária, mas precisou ser sacrificada. No dia seguinte, irmão do suposto agressor mandou uma mensagem se desculpando

Cadela estava com a família há cerca de um ano e meio Foto: Reprodução

Uma cadela morreu após ter sido atingida por golpes de facão na cabeça. Bela, uma cadela da raça husky siberiano, foi agredida na madrugada de domingo de Natal, dia 25, no bairro Tucum, em Cariacica.

De acordo com a proprietária do animal, a dona de casa Juliana de Oliveira Teixeira Balbino, o crime foi cometido porque a cadela teria matado um galo e uma galinha no bairro. 

Segundo informações passadas por Juliana à Polícia Civil, durante a noite de Natal, Bela ficou assustada com os barulhos dos rojões e, por volta das 0h10, saiu correndo e fugiu pelo portão da casa, que estava aberto. Os donos ainda foram atrás do animal, mas voltaram para casa após mais de duas horas de buscas.

"Nós procuramos de meia-noite e dez até duas e meia da manhã, sem conseguir encontrar. Depois entrei em casa para me resguardar, porque é perigoso esse horário a gente estar na rua. Mas pela manhã, a gente voltaria a procurar ou ela apareceria. Depois daquele barulho todo imaginei que ela fosse voltar para casa", disse a dona de casa.

Na manhã seguinte, a sogra de Juliana foi até a casa dela e informou que a cadela estava caída em frente à sua casa, com dois cortes profundos na cabeça e sangrando muito. A dona de casa e o marido socorreram o animal e o levaram até um hospital veterinário, em Vila Velha.

No local, os veterinários constataram que o ferimento havia sido provocado por um instrumento cortante e que, pela gravidade das lesões e pela impossibilidade de serem tratadas, a cadela precisaria ser sacrificada. Juliana, que sofre de depressão, chegou a ser hospitalizada depois da morte do animal. 

"Enquanto eu viver, acho que não vou esquecer. Ela era como se fosse a minha filha, como se fosse parte da minha família. A gente tinha ela há um ano e meio, por aí. Ela era muito carinhosa, brincava com a gente. A minha filha está arrasada, não está conseguindo se alimentar direito. Ela não sabe ainda que a cachorra está morta e pergunta se ela vai voltar do hospital", lamenta.

Depois de registrar um boletim de ocorrência no 10º DP de Itacibá, em Cariacica, ela começou uma investigação por conta própria e descobriu que Bela foi esfaqueada dentro de uma garagem, a cerca de um quarteirão de sua casa. 

Vizinhos contaram que viram quando um homem encurralou a cadela dentro da garagem, que não tem portão, e a atingiu duas vezes com uma faca. Os vizinhos também disseram que viram um outro homem arrastar o animal pela rua até a porta da casa da sogra de Juliana.

Justiça

Bela estava com a família há cerca de um ano e meio. O filho mais velho de Juliana, Lucas Teixeira Balbino, de 17 anos, foi quem se apaixonou por ela, em uma feira, e pediu para levar o filhote para casa.

"A gente nem tinha a intenção de comprar ela. Só compramos porque gostamos bastante dela. Como a gente já tinha tido um cachorro, a gente tinha um quintal grande e resolveu comprar", disse o rapaz.

Agora a família espera que o responsável pela morte do animal seja punido. "Ele não precisava fazer isso. Ele poderia ter entrado em contato com a gente e resolveríamos isso da melhor maneira possível. Se ele achasse que teria que chamar a polícia ou a Justiça, eu ia pagar na forma da lei, assim como eu estou fazendo agora. Eu quero que ele pague dentro da lei", afirmou Juliana.

De acordo com a Polícia Civil, o caso está sendo investigado pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e Patrimônio Cultural. Ainda segundo a PC, não serão divulgados detalhes sobre a investigação, para não atrapalhar o trabalho da polícia.