• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após troca de ofensa e ameaça, Braga promete tomar medidas cabíveis contra Caiado

  • COMPARTILHE
Política

Após troca de ofensa e ameaça, Braga promete tomar medidas cabíveis contra Caiado

Brasília - O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse nesta quinta-feira, 29, que "tomará as medidas judiciais cabíveis" contra o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que mais cedo o chamou de "bandido" e "safado". A discussão ocorreu durante audiência pública na Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional.

"Esse senador mal caráter agiu de forma intencional para agredir e denegrir sem nenhuma justificativa uma autoridade pública que veio ao Congresso cumprir seu papel institucional", disse o ministro. "O senador Ronaldo Caiado teve uma reação completamente desproporcional", completou, olhando para o parlamentar, que retornou à sala da comissão.

O ministro explicou que o destempero de Caiado tem a ver com a privatização da Celg Distribuidora pela Eletrobras. Braga afirmou que a companhia tem prejuízo da ordem de R$ 1,1 bilhão por ano, além de um grande desequilíbrio financeiro de sua operação. O governo inclusive incluiu na Medida Provisória 677 uma medida para equalizar a dívida em dólares da companhia com a usina de Itaipu.

"A Celg está em um Estado emergente com grande interesse do capital privado em resolver os problemas de oferta de energia. Soube que o Caiado era contra a privatização da Celg e as medidas para sanear a empresa e liguei para ele. Para a minha surpresa, o senador me disse que essa era uma questão da política goiana e afirmou que iria marcar posição", relatou Braga.

O ministro defendeu a renovação das concessões de 42 distribuidoras de eletricidade, outro ponto que havia sido atacado pelo senador goiano em contraponto à venda da Celg. "A medida foi aprovada pelo pleno do Tribunal de Contas da União e os contratos só não foram assinados ainda porque estamos seguindo o rito normal", acrescentou.

Braga disse que estava olhando no celular o preço desta quinta do barril de petróleo para responder a uma pergunta dos parlamentares quando Caiado começou a agredi-lo de forma desrespeitosa. "Agora o senhor vai me ouvir. Talvez não seja tão corajoso como Vossa Excelência, mas tenho o costume de enfrentar os meus adversários. Não venha com suas bravatas, seus gritos e desrespeitos porque nunca te tratei dessa forma, mesmo quando Vossa Excelência liderava os movimento mais radicais de Direita no País", completou.

Após pedido de Braga, o presidente da Comissão, senador Fernando Bezerra (PSB-PE), afirmou que irá solicitar as notas taquigráficas e o vídeo da sessão para levá-los à Mesa Diretora do Senado. Mais cedo, Caiado chamou Braga de "safado" e "bandido" e, na sequência, chamou o ministro para "resolver a questão" fora do plenário onde ocorre a reunião no Senado.

A discussão teve início após Caiado fazer um questionamento sobre a renovação das concessões das distribuidoras e os planos de venda da Celg pela Eletrobras. O senador do DEM chamou a atenção de Braga para que ele ouvisse a pergunta. Enquanto o ministro tentava dizer que estava ouvindo as palavras do senador e pedia desculpas por ter se virado de lado, Caiado levantou-se e foi em direção à mesa dizendo que estava sendo desrespeitado.

"Vossa Excelência deveria ficar calmo, está muito nervoso. Vossa Excelência está desequilibrado", disse Braga, enquanto Caiado o chamava de "bandido" e "safado". "Safado é Vossa Excelência, me respeite. Bandido é você", completou o ministro.