• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Doze corpos de vítimas do acidente na BR-101 continuam no DML

  • COMPARTILHE
Geral

Doze corpos de vítimas do acidente na BR-101 continuam no DML

Três famílias que esperam por reconhecimento dos corpos vão passar por exames nesta semana, já que só será possível identificar as vítimas carbonizadas com o DNA

Três famílias vão passar por exames  Foto: TV Vitória

Corpos de vítimas do acidente na BR-101, em Guarapari, continuam no Departamento Médico Legal aguardando identificação. Dos 23 mortos na tragédia, considerada o maior acidente rodoviário do Espírito Santo, 12 ainda não foram sepultadas. 

Das 11 famílias que aguardam o reconhecimento dos corpos, três vão passar por exames nesta semana, já que só com o DNA será possível identificar as vítimas carbonizadas. 

Um deles ainda não foi procurado pela família, o que dificulta o reconhecimento e a liberação. A viação Águia Branca, responsável pelo ônibus, disse que não vai divulgar a lista de passageiros. 

O acidente 

A batida envolvendo um ônibus interestadual, uma carreta carregada com uma pedra de granito e duas ambulâncias de municípios do interior do Estado aconteceu na manhã da última quinta-feira (22). Vídeos mostraram o desespero das vítimas do acidente. No total, 23 pessoas morreram. 

O número inicial era de 21 mortos, mas duas vítimas que deram entrada no Hospital Jayme Santos Neves, na Serra, em estado grave, não resistiram aos ferimentos e acabaram morrendo. Entre elas estava um jovem de 24 anos, que teve 95% do corpo queimado.

A causa do acidente ainda não foi oficialmente confirmada, mas a Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspeita que um pneu estourado da carreta pode ser a causa principal. Além disso, os policiais constataram que o veículo não estava em boas condições e o peso ultrapassava 11 toneladas do total permitido. 

Leia também:
>> Falta de duplicação pode ter agravado situação do acidente em Guarapari
>> Exclusivo: Imagens aéreas feitas por drone mostram a extensão da tragédia na BR 101, em Guarapari

Um dos proprietários da empresa Jamarli Transportes, responsável pela carreta, chegou a ser preso em flagrante na última sexta-feira (23), mas foi liberado no último sábado (24).

O secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, classificou o acidente como "a maior tragédia rodoviária do Espírito Santo". Além disso, a Comissão de Fiscalização da Concessionária ECO 101, na Câmara dos Deputados, entrará com uma denúncia no Ministério Público Federal (MPF) contra a empresa que administra a BR 101.