• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Acusados de matar universitário na Serra após briga de trânsito são condenados

  • COMPARTILHE
Polícia

Acusados de matar universitário na Serra após briga de trânsito são condenados

Os três tiveram penas superiores a 20 anos de prisão. Crime aconteceu em novembro de 2015, na porta da casa de Ubiratan Dias Ferreira, de 32 anos

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução
Ubiratan foi morto a tiros no dia 28 de novembro de 2015, na porta de casa, em Nova Carapina II

A Justiça condenou os três acusados de participação no assassinato do universitário e personal trainer Ubiratan Dias Ferreira, morto a tiros, há pouco mais de três anos, na Serra, após uma briga de trânsito. A sentença foi proferida na última terça-feira (04), pela juíza Daniela Pellegrino de Freitas Nemer.

Lucas Siqueira da Silva, apontado como o autor dos disparos, foi condenado a 28 anos de reclusão; Giovane Roberto da Silva Santos, que, segundo as investigações, foi o mentor do crime, foi condenado a 24 anos e seis meses; e Diego Souza Santos teve uma pena de 24 anos de prisão.

O crime aconteceu no dia 28 de novembro de 2015, no bairro Nova Carapina II, Serra. Ubiratan, na época com 32 anos, foi assassinado com quatro tiros na porta de casa. Antes disso, ele havia participado de uma discussão, motivada por uma batida de trânsito.

Bira, como era conhecido pela família e amigos, voltava de um almoço na casa do padrasto, quando a moto que ele conduzia se envolveu em um acidente com um carro de passeio, na Avenida Belo Horizonte, Serra. Depois de conversar com o condutor do veículo, o universitário seguiu para casa.

Pouco tempo depois, os três ocupantes do carro de passeio - Lucas, Giovane e Diego - foram até a casa do universitário e o chamaram no portão. Segundo testemunhas, eles começaram a discutir por conta da batida no trânsito e Bira teria dito que ninguém ficaria no prejuízo.

No entanto, segundo as investigações, Lucas teria atirado várias vezes contra Ubiratan, que não resistiu aos ferimentos. Em seguida, os três acusados fugiram a pé. O crime foi registrado por câmeras de videomonitoramento da região.