• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Assembleia do Espírito Santo retoma trabalhos com assuntos polêmicos

  • COMPARTILHE
Política

Assembleia do Espírito Santo retoma trabalhos com assuntos polêmicos

Os temas mais polêmicos giram em torno de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI’s) e a eleição do novo corregedor-geral da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales)

Ales terá apreciação de temas polêmicos na semana que vem. Duas CPI's e eleição do corregedor Foto: Divulgação/Assembleia

A semana dos deputados estaduais promete ser bastante agitada. Os temas mais polêmicos giram em torno de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI’s) e a eleição do novo corregedor-geral da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), tema que vem se arrastando, mas que deverá ter um ponto final na terça-feira.

Antes, porém, deverão ser definidos os membros da CPI do Pó Preto e da CPI da Licitação do Sistema Transcol. 

A primeira foi proposta pelo presidente da Comissão de Meio Ambiente, deputado Rafael Favatto (PEN). O objetivo da CPI é investigar através de documentos e perícias a emissão de gases poluentes que tanto abalam a saúde da população dos municípios da Grande Vitória. 

Embora o tema tenha sido pleiteado pelo deputado Gilsinho Lopes (PR), a expectativa é de que apenas os membros da Comissão de Meio Ambiente atuem na CPI do Pó Preto. O deputado Rafael Favatto avisou que esta não será uma comissão “chapa branca”, mas que a comissão terá “carta branca” para atuar. 

O presidente da Comissão de Meio Ambiente disse também que Gilsinho poderia obter uma vaga para atuar na CPI em caso de desistência de algum membro da comissão temática afim.

Já a segunda Comissão Parlamentar de Inquérito foi protocolada pelo deputado Euclério Sampaio (PDT) e o requerimento foi lido na sessão da última quarta-feira (11). Na ocasião ele justificou a instalação da CPI por considerar que a licitação realizada para o Sistema Transcol foi “fajuta”

O deputado Euclério Sampaio explicou, com base na representação do Ministério Público de Contas, que a licitação do Transcol apontava diversas irregularidades na concorrência. Justificou ainda dizendo que antes mesmo da abertura de envelopes era possível saber quem sairia vencedor na licitação.

Coordenador do blocão que elegeu o presidente Theodorico Ferraço, o deputado Rodrigo Coelho (PT), fez um trocadilho em relação ao novo corregedor. 

“Só sei que o novo corregedor da Assembleia será definido… por acordo ou pelo voto”, brincou.

Apesar do clima de leveza de Coelho, o certo é que a disputa pela Corregedoria-geral da Ales será bem acirrada. O petista disse que a disputa entre os deputados Sandro Locutor (PPS) e Hudson Leal (PRP) é legítima e deverá acontecer na terça-feira (24).

“O deputado Sandro Locutor não estará em Vitória na segunda-feira porque representará a Assembleia em Brasília, onde haverá o encontro da União Nacional de Assembleias Legislativas (Unale)”, justificou Rodrigo Coelho.